Fale Conosco           

       

PREFÁCIO

Enquanto ainda houver sobre a terra
um único ser humano que não conhece a Deus
e não O ama sobre todas as coisas,
não poderás sossegar um instante sequer.

Enquanto Deus não for glorificado em toda parte,
não poderás sossegar um instante sequer.

Enquanto a Rainha do céu e da terra
não for enaltecida em toda parte,
não poderás sossegar um instante sequer.

Com a graça de Deus,
nada seja difícil demais para ti:
nem sacrifício, nem cruz,
nem sofrimento, nem solidão,
nem aflição, nem perseguição!
Tudo posso naquele que me fortalece.

Nem traição, nem infidelidade,
nem frio, nem desprezo,
nada arrefeça o teu zelo!

Mas, tudo por Ele, com Ele e para Ele.
Todos os povos, tribos, nações e línguas,
glorificai o Senhor, nosso Deus!

Ai de mim, Senhor,
se eu não te anunciar aos homens e às mulheres!

Ajuda-me, Senhor, mostra-me os caminhos!
Sem Ti nada posso. Espero tudo de Ti.
Esperei em Ti, Senhor,
não serei confundido para sempre.

Reza sempre, com profunda humildade
e com a máxima confiança.
Nada te impeça de fazê-lo.

Pe. Francisco Maria da Cruz Jordan
Diário Espiritual II, 1-2   20 de dezembro de 1894

 

I
Nosso Chamado e Carisma

“A vida eterna é esta: que eles te conheçam a ti,
o Deus único e verdadeiro, e aquele que enviaste, Jesus Cristo.”

(Jo 17,3) 

  1. Movido por uma profunda experiência de Deus, pela situação da Igreja e pela realidade de seu tempo, Pe. Francisco Maria da Cruz Jordan foi tomado por um urgente desejo de que todas as pessoas conhecessem o Deus único e verdadeiro e, em Jesus, o Salvador, experimentassem vida em abundância. Sua visão foi de unir todas as forças apostólicas da Igreja para que amem e proclamem Jesus como Salvador de um mundo carente de Deus. Incluiu pessoas de todas as idades e níveis sociais, trabalhando juntas em todas as partes e com todos os modos e meios.  
  2. A Família Salvatoriana é uma expressão do carisma, dom do Espírito Santo dado a Pe. Jordan, a serviço da Igreja. Nossas raízes comuns remontam à Sociedade Apostólica Instrutiva, fundada por Pe. Jordan no dia 8 de dezembro de 1881, em Roma. Os primeiros membros eram padres diocesanos. Teresa von Wüllenweber (mais tarde bem-aventurada Maria dos Apóstolos) uniu-se à Sociedade em 1882. Grande número de leigos e leigas, de todas as idades, se uniu a esta fundação. 
  3. Hoje, a Família Salvatoriana é formada por três ramos autônomos: a Sociedade do Divino Salvador, a Congregação das Irmãs do Divino Salvador, e a Comunidade Internacional do Divino Salvador. Estamos unidos(as) por nosso compromisso comum com a missão sonhada por nosso Fundador, formando uma mesma família de zelosos(as) apóstolos e apóstolas, que anunciam a todas as pessoas a salvação manifestada em Jesus Cristo (Tt 3,4). Assim como o projeto original de Pe. Jordan evoluiu ao longo do tempo, estamos abertos(as) ao Espírito, aonde quer que ele nos conduza, no futuro.
  4. Vivemos nosso chamado na igualdade e complementaridade, de acordo com nossos diferentes estados de vida, dons e culturas.  

 

II
Nossa Missão

”….proclamai a Palavra de Deus, insisti no tempo oportuno e inoportuno,
repreendei, suplicai e exortai com toda paciência e doutrina.
Ide e, com perseverança, dizei ao povo todas as palavras de vida eterna”.

(Pe. Jordan, Regra de 1884)

 “Sim, todos(as) nós precisamos adquirir, mais e mais, esse espírito apostólico.”
(Beata Maria dos Apóstolos, Carta, 28 de junho de 1900)

  1. Seguindo as pegadas do Salvador, a exemplo dos Apóstolos, somos chamados e chamadas a viver e anunciar o amor incondicional de Deus, dando continuidade à obra salvífica de Jesus, anunciando a salvação a toda criatura, e a libertação de tudo aquilo que constitui uma ameaça à vida plena (cf Mt 28,19-20; Mc 16,15).
  2. Nossa experiência pessoal e comunitária de salvação é a energia dinâmica e propulsora de nossa missão. 
  3. Alimentamos nosso amor à Igreja e nela atuamos com consciência profética, como testemunhas do Evangelho. A exemplo de Pe. Jordan e Beata Maria dos Apóstolos, conscientes de que a vocação de todas as pessoas batizadas consiste em serem uma força viva na Igreja, para a construção de um mundo mais justo, formamos e apoiamos lideranças a serviço da evangelização. 
  4. Nosso espírito de universalidade se expressa de todos os modos e meios que o amor de Deus inspira.
    1. Com espírito aberto, acolhemosos clamorese desafios da época histórica em que vivemos, permitindo que os sinais dos tempos nos revelem os modos e meios de agir. 
    2. Envolvemos outras pessoas em nossa missão, e colaboramos com quem se compromete com a promoção da verdade, da justiça e da defesa da vida, fazendo a opção preferencial pelos pobres e por aqueles e aquelas cuja dignidade humana não é reconhecida. 
    3. Tornamos as verdades eternas da Palavra de Deus e nossa fé acessíveis às pessoas de qualquer cultura, raça, etnia, classe social, nacionalidade e religião. 
    4. Vivenciamos o espírito de diálogo em ambientes inter-culturais, inter-religiosos e inter-confessionais. 
  5. Cada Ramo da Família Salvatoriana expressa nossa missão comum de acordo com sua vocação específica.

 

III
Nossa Espiritualidade

“Meu Salvador e meu Redentor, eu me lanço em teus braços.
Contigo, para Ti, por Ti e em Ti quero viver e morrer.”

(Pe. Jordan, DE I 9; 15 de novembro de 1875)

 “Sim, rezemos e trabalhemos com zelo
para que se cumpra a vontade de Jesus, ´venha o teu Reino´.”

(Beata Maria dos Apóstolos, Carta, 20 de maio de 1901)

  1. Nossa espiritualidade individual e comunitária, vivida na realidade do mundo, se fundamenta em nossa experiência de Deus Pai.  Jesus Cristo, que veio para dar a vida por todos, é fonte e centro de nossa espiritualidade. Com Maria, sua Mãe, anunciamos a outras pessoaso Salvador que experienciamos pessoalmente. O Espírito Santo nos guia e ilumina na caminhada.
  2. Em nossa meditação e contemplação da Palavra de Deus, à luz da realidade e na celebração dos Sacramentos, integramos nossa vida e ação. Agindo assim, nós nos empenhamos em viver nossa vocação à santidade, encorajando outras pessoas a fazerem o mesmo.
  3. O testemunho de Pe. Jordan e Beata Maria dos Apóstolos nos inspira a sermos pessoas de oração, a abraçar a cruz em vista de nossa missão, a nutrir uma confiança inabalável na Divina Providência, a assumir um estilo de vida simples e a nutrir uma especial devoção a Maria, Mãe do Salvador.
  4. Manifestamos a bondade e a ternura amorosa de Deus, quer em nossa missão, quer no modo de nos relacionarmos como Família Salvatoriana.  Na oração e no diálogo, procuramos compreender-nos mutuamente, dispostos e dispostas a nos perdoar reciprocamente.

 

IV
Nossa Colaboração

“Fomentem ao máximo a caridade mútua para que… se apresentem como companheiros dos Apóstolos, aplicando a si mesmos as palavras de nosso Mestre supremo, Jesus Cristo…: ´Dou-vos um novo mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos tenho amado.’”
(Regras para o Primeiro Grau da Sociedade Apostólica Instrutiva, 1882) 

  1. Como Família Salvatoriana, procuramos oferecer um testemunho visível, como homens e mulheres, com culturas e histórias distintas, trabalhando lado a lado em missão. Nutrimos confiança mútua e respeito pelas diferenças existentes entre nós, aprendemos reciprocamente e valorizamos a contribuição que cada um e cada uma é capaz de oferecer para nossa vida e missão.
  2. Ainda que os três Ramos sejam autônomos, é na vivência da interação que expressamos nosso carisma. Colaboramos em novas iniciativas onde os dons de cada um e de cada uma se fazem necessários e, sempre que possível, auxiliamos os outros Ramos em seus apostolados e atividades.
  3. A Família Salvatoriana inteira partilha a responsabilidade de promover a compreensão mútua e o crescente sentido de identidade comum, participando de encontros, diálogo e projetos comuns. 
  4. Nossas liderançascoordenam a interação entre nós, promovendo a consciência de nossa identidade e universalidade como Família Salvatoriana e o compromisso de solidariedade entre os três Ramos.
    1. Em nível nacional, nos países onde há membros de dois ou mais Ramos da Família Salvatoriana, a colaboração é promovida por encontros de suas lideranças e por uma equipe de coordenação nacional com representantes de cada Ramo. 
    2. Em nível internacional, a colaboração é promovida mediante reuniões entre as lideranças e encontros das comissões conjuntas, e pelos capítulos gerais dos Padres e Irmãos, das Irmãs e pelas reuniões da Coordenação da Comunidade Internacional do Divino Salvador, que ocorrem no mesmo ano. 
    3. As liderançasde cada um dos três Ramos colaboram na tomada de decisões que envolvem diretamente toda a Família Salvatoriana. 

 

Conclusão

Como seguidores e seguidoras de Pe. Francisco Jordan e Beata Maria dos Apóstolos, imbuídos e imbuídasde seu espírito missionário, assumimos esta Declaração como expressão de nossa identidade como Família Salvatoriana. Pedimos a intercessão de Pe. Jordan e de Beata Maria dos Apóstolos, para que cada um e cada uma de nós, assuma a vocação salvatoriana com zelo e gratidão.

***********************************

Franciscus Jordan

A

juda-me, Senhor, mostra-me os caminhos! Sem Ti nada posso. Espero tudo de Ti. Esperei em Ti, Senhor, não serei confundido para sempre.

Salvatorianos no Mundo

Albânia  Alemanha  Austrália  Áustria  Belarus  Bélgica  Brasil  
Camarões  Canadá  Colômbia  Comores Congo  Equador  
Escócia  Eslováquia  Espanha  Estados_Unidos  Filipinas  
Guatemala  Hungria  Índia  Inglaterra  Irlanda  Itália  México  
Moçambique  Montenegro  Polônia  República_Checa  Romênia  
Rússia  Sri_Lanka  Suíça  Suriname  Taiwan  
Tanzânia  Ucrânia  Venezuela